quarta-feira, julho 30, 2008

Estão tarascas...

- "Não está no tempo delas, já estão tarascas."
Não escondo a minha decepção, perante a explicação da minha mãe. - "Oh!" As couves nunca deviam ficar tarascas, digo eu que adoro folhas de couve cozidas, pra comer com um fiozinho de azeite por cima a acompanhar o milho cozido. Só assim. Tal como no tempo da minha avó. A diferença é que nessa altura era por falta de algo melhor e no meu caso é por puro gosto.
Pois bem. Acabo de saber que as couves já estão tarascas; ainda as vejo na roda dos pois, mas já estão duras, e uma vez que o sabor também se altera tornam-se desagradáveis.
Paciência. Respeito os ciclos da Natureza e esperarei calmamente pelo tempo das couves tenras. Só é pena ter sabido que as couves já estão tarascas no mesmo dia em que soube que a carne-de-porco já acabou na cartola, agora só para a Festa se Deus quiser. Duas más notícias gastronómicas no mesmo dia são mais difíceis de digerir do que uma.

Comments:
Será que algumas entidades são como as couves? Já «tarascas» e mais que «tarascas» mas julgando-se ainda de uma verdura e candura primaveris...
 
O termo é giro. Será que foi descoberto cá na Madeira?

Alguns políticos não estarão tarascas devido a certa senilidade?
 
Golfe mete ainda mais água

Hoje no Diário de Notícias vem na primeira página uma notícia particularmente escandalosa. A Sociedade de Desenvolvimento quer construir uma central dessalinizadora por causa do campo de golfe!!!

Já em tempos tinha escrito sobre a água para o campo de golfe. Vale a pena voltar a trás e reler o que escrevi na altura... se calhar até reler a notícia do DN-Madeira de então...
http://melhor-do-que-o-teu.blogspot.com/2008/03/golf-mete-agua.html

Parece que a solução da Sociedade de Desenvolvimento para viabilizar o negócio do campo de golfe é construir uma central de dessanilização própria.

Vamos fazer umas contas simples... O campo de golfe gasta por ano 1 300 000€ e gera receitas anuais de 330 000€. Ou seja, com os dados actuais dá um prejuízo de 970 000€/ano.

Na notícia de Março do DN-Madeira dizia que o custo da água era de cerca de 300 000€/ano (1/3 das despesas), mas já nessa altura as contas não batiam certo, pelo que afirmei que o custo da água deveria ser de 750 000€/ano... Agora confirmo as minhas contas.
Dizem na notícia do DN-Madeira de hoje (http://www.dnoticias.pt/Default.aspx?file_id=dn04010707050808) que o campo consome 1500m3/dia (ou 2000 se contarmos com a água da ETAR), o que ao preço mais baixo da tabela 1,40€/m3 dá 750 000€...

A proposta da Sociedade de Desenvolvimento do Porto Santo é investir numa dessalinizadora, esperando assim reduzir o custo da água para metade do que paga ao IGA... Ora, sabendo que o custo de produzir água no Porto Santo é 4x superior ao que acontece na Madeira, mas que o preço praticado pela água é igual em todo o arquipelago, a expectativa de produção da nossa dessalinizadora é reduzir o custo da produção da água para 1/8 do custo actual!!!
Se essa dessalinizadora é assim tão boa porque é que o investimento não é feito pela IGA e para benefício de todos?
Mesmo assumindo que o custo de produzir água para regar a relva não é tão exigente como a água para consumo, parece-me uma diferença de custo demasiado elevada para ser verdade...

Mesmo assim, esta eventual redução para metade do custo da água não tornaria viável operacionalmente o campo de golfe. Mesmo ignorando custos de investimento e manutenção da nova central, o novo custo da água apenas diminuiria o prezuído anual dos 970 000€/ano para 595 000€/ano.

Na notícia de hoje é ainda dito que se poupará no transporte de água... Ora como o mar continua à cota zero, e o campo de golfe não vai ficar mais baixo, não estou a ver como é que se poupará no transporte de água... Não me digam que andam a transportar água de camião para regar a relva do golfe...(?!?!)

Mas a notícia diz mais! A Sociedade de Desenvolvimento pretende instalar uma central com capacidade para 5000m3, ou seja, 2,5 vezes a capacidade que supostamente necessita neste momento... e que para isso será necessário um investimento inicial de 2,5 milhões de euros.

Ora se forem rigorosas as contas do Periodo de Recuperação do Investimento (PRI) que dizem ser de 10 anos, isso significa que existem custos de manutenção muito elevados da ordem dos 125 000€/ano... Mas como eu não acredito que as contas do PRI sejam rigorosas nem vou levar o meu argumento por essa via...

Ter uma tão grande capacidade para produzir água que só serve para regar plantas (??) só é justificável se existirem mais plantas para regar.

A sociedade de desenvolvimento quer aumentar dos actuais 27 buracos (18+9) para 45 buracos (18+18+9). Ora isso obriga a aumentar a área regável em 65%, ora isso significa que a quantidade de água por dia passará a ser ~3400m3/dia.

Isto significa que o que se ganhou em reduzir o custo da água para metade, perde-se com o gastar mais água para regar mais área de relva!

Resumindo, as contas do campo de golfe após o investimento na central de dessalinização serão as seguintes:

Despesas Anuais
Água (3400m3/dia) ao preço de 0,70€/m3 = -868 700€
Despesas de manutenção da central = -125 000€
Outras despesas supondo manutenção dos
custos actuais (1 300 000€-750 000€) = -550 000€
-----------------------------------------------------------
Total das despesas = -1 543 700€


Receitas Anuais ???
Se triplicassemos o número de golfistas
e mantivessemos os custos... (3x6000x55€)
Actualmente a receita média por golfista é de 55€.
-----------------------------------------------------------
Total das receitas = +990 000€


-----------------------------------------------------------
Saldo Operacional (ignorando custos de
investimento e juros) = -553 700€

Período de Recuperação do Investimento? NUNCA!

Para atingir o break even seriam necessários 28 067 turistas/ano a jogar golfe no Porto Santo... Actualmente temos 6000 turistas/ano. (Estou a ignorar as receitas dos locais porque os que jogam golfe são uns tesos que só deixam calotes, porque têm costas largas...)

Supondo que se mantém a média de apenas 2,9% dos turistas que vão ao Porto Santo jogarem golfe no Porto Santo, então podemos extrapolar que o número de turistas a visitar o Porto Santo por ano andará perto do 1 milhão... Ah! Ah! Ah!

Bem sei que o texto atrás tem muitas suposições...
Mas é impossível ter 1 milhão de turistas por ano no Porto Santo...
Como também é impossivel ter 28 067 turistas por ano no Porto Santo a jogar golfe... Como também é impossível aumentar 4 vezes as receitas médias por golfista...
Como também é impossível manter os custos extra água com um aumento brutal do número de turistas...
Como também me parece impossível reduzir o custo da água dessalinizada para 1/8 do custo de produção actual...

Assim sendo, reafirmo a ideia que o campo de golfe do Porto Santo é um buraco sem fundo. Não há racionalidade nenhuma neste investimento e não é justificável estratégicamente este investimento! Mais valia comprar aviões e trazer turistas a 1€! Dava menos prejuízo...

O investimento no Golfe no Porto Santo é um custo afundado... não vale a pena deitar mais água em cima!

Há gestores fantásticos não há? E políticos fantásticos? Xiiii!


in http://melhor-do-que-o-teu.blogspot.com/
 
O cavalheiro que debitou este comentário sobre a famigerada dessalinizadora do Porto Santo parece bom em contas.
Mas porque razão este raciocínio veio parar às couves tarascas da Lília?
Homem ponha na página do leitor que isso merece visibilidade, embora não altere nada.
Não sabe que o Porto Santo é a terra dos avais? Já não dá uvas nem melancias..dá avais.
A minha, como a da Lília, só dá couves e tarascas nesta altura. Gostei do termo nunca mais esqueço.
É bonito e fica na memória.
miss
 
Postar um comentário

<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!